Vacina bivalente é ampliada para todos os grupos prioritários da campanha nacional.

 Vacina bivalente é ampliada para todos os grupos prioritários da campanha nacional.
Digiqole ad

Os 184 municípios do Ceará podem avançar na cobertura vacinal da dose de reforço bivalente contra a covid-19. O Ministério da Saúde (MS) liberou a aplicação dos imunizantes em todos os grupos contemplados na campanha nacional, iniciada em 27 de fevereiro.

A estratégia alcançava, no momento, pessoas com idade a partir de 60 anos e aqueles com 12 anos ou mais imunocomprometidos, abrigados em instituições de longa permanência (e seus funcionários) e pertencentes a comunidades indígenas, ribeirinhas e quilombolas.

Agora, serão contemplados gestantes e puérperas; trabalhadores da Saúde; pessoas com deficiência permanente; adolescentes cumprindo medidas socioeducativas (12 a 17 anos, 11 meses e 29 dias); população privada de liberdade (a partir de 18 anos) e funcionários do sistema prisional.

Para a vacinação, é necessário apresentar documento que comprove o pertencimento aos grupos prioritários. A execução da aplicação é de responsabilidade dos municípios. Em caso de dúvidas, consulte a prefeitura ou a Secretaria Municipal de Saúde.

Esquema primário é obrigatório

O reforço bivalente será administrado naqueles cujo o esquema primário de vacinação foi completado com as doses monovalentes (D1+D2) ou que receberam depois uma ou duas doses de reforço comuns, com intervalo de, no mínimo, quatro meses da última aplicação.

O titular da Secretaria de Vigilância em Saúde (Sevig) da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), Antônio Silva Lima Neto (Tanta), explica os objetivos da campanha: garantir o reforço da proteção de pessoas mais vulneráveis à doença e incentivar a conclusão do esquema vacinal daqueles que ainda não o finalizaram.

“Precisamos, ainda, colocar a cultura da vacinação contra o coronavírus no cotidiano da população. Campanhas como esta melhoram o índice de vacinação e estabilizam os dados, mas o que faz com que a gente tenha sucesso mesmo é a atenção primária à saúde, no dia a dia. As vacinas estão disponíveis e isso precisa ser relembrando ininterruptamente”, diz o secretário.

Ceará Agora