143 pessoas são presas em operação de repressão de crimes contra crianças.

 143 pessoas são presas em operação de repressão de crimes contra crianças.
Digiqole ad

Ao todo, 143 pessoas foram presas no Ceará em ofensivas integradas de repressão a crimes contra crianças e adolescentes desde o dia 13 de julho, quando teve início a operação “Sentinela”, da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

A operação foi concluída no último domingo, dia 13 de agosto, e atuou em capturas em 51 municípios cearenses, dentre eles Fortaleza e cidades como Barbalha, Juazeiro do Norte, Crato e Sobral. Ao todo, foram realizadas 85 prisões em flagrante e cumpridos 58 mandados de prisão.

Os crimes cometidos pelas pessoas capturadas durante o mês em que aconteceu a operação variam. Entre eles estão estupro de vulnerável, lesão corporal dolosa e roubo, todos cometidos contra crianças e adolescentes.

Nos dois primeiros dias de operação, seis homens foram presos em Fortaleza e no interior do Estado por abusar e estuprar crianças e adolescentes com idades entre cinco e 15 anos.

Ações policiais foram coordenadas pela Coordenadoria Integrada de Planejamento Operacional (Copol) da SSPDS e pela Polícia Militar do Ceará (PMCE) e Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE). A iniciativa aconteceu diante do aniversário de 33 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), de 13 de julho de 1990.

Sobre a operação, a Diretora do Departamento de Proteção aos Grupos Vulneráveis (DPGV) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE), Janaína Braga destaca a importância das denúncias “para que os fatos cheguem ao conhecimento da polícia judiciária para que sejam dado início às investigações para que as provas sejam coletadas”.

Ela coloca que, apesar de muitas vezes crimes como esses serem praticados longe dos olhos de testemunhas e vítimas não consigam expressar diretamente o que aconteceu, é também possível que elas se expressem através de ações e comportamentos, como por meio de desenhos ou mudanças de comportamento como o isolamento de amigos e familiares.

“Então ao menor sinal de violência, procurar uma delegacia mais próxima, procurar uma delegacia especializada”, orienta Janaína.

Municípios onde aconteceram capturas

Abaiara, Acopiara, Alcântaras, Aracati, Arneiroz, Aiuaba, Barbalha, Beberibe, Canindé, Camocim, Capistrano, Cariús, Cascavel, Catarina, Caucaia, Chaval, Crateús, Crato, Cruz, Croatá, Cedro, Eusébio, Fortaleza, Ibiapina, Icapuí, Iguatu, Itaitinga, Itapajé, Itapipoca, Itarema, Independência, Ipueiras, Ipu, Jaguaretama, Jati, Juazeiro do Norte, Jucás, Maracanaú, Mombaça, Mucambo, Nova Olinda, Pacatuba, Pentecoste, Quixadá, Quixeramobim, Redenção, Russas, Senador Pompeu, Sobral, Tianguá, Trairi.

Operação da Polícia Federal prendeu seis mulheres suspeitas de crimes sexuais contra os filhos

Também no mês de julho, a Polícia Federal realizou a operação Anêmona, que cumpriu seis mandados de prisão contra mães suspeitas de crimes sexuais cometidos contra os próprios filhos em Fortaleza, Maranguape, Juazeiro do Norte, e na cidade carioca de Belford Roxo.

Investigações tiveram início em setembro do ano passado e a primeira prisão – de um homem que convencia mães a abusarem de seus filhos em fóruns na internet – se deu em dezembro. Foi apurada a existência de mais de 12 mil arquivos dentre conversas, fotos e vídeos que comprovariam o crime na casa do suspeito.

As mães foram presas sete meses depois, no dia 27 de julho deste ano. Investigações devem continuar para identificar novos suspeitos no crime. 

O Povo