Paquistão aprova lei contra o abuso infantil com pena de prisão perpétua

 Paquistão aprova lei contra o abuso infantil com pena de prisão perpétua
Digiqole ad

A nova lei contra o abuso infantil recebeu o nome de uma menina de 7 anos que foi estuprada e morta em 2018. A história de Zainab provocou indignação e raiva na população do Paquistão.

A nova legislação é a primeira aprovada no país onde mais de 10 crianças são vítimas de abuso sexual todos os dias. Casos de pedofilia aparecem com frequência no noticiário nacional.

A partir de agora, estupradores e assassinos de crianças podem ser sentenciados à prisão perpétua. Mas essa medida punitiva só foi alcançada depois da triste história da morte de Zainab Ansari, há dois anos, que provocou muitos protestos no país.

Na época, centenas de pessoas tomaram as ruas da cidade de Kasur, na província de Punjab, resultando na morte de dois manifestantes em confrontos com as forças de segurança.

Autoridades foram acusadas de negligência, após o corpo da menina de 7 anos ter sido encontrado em uma lixeira, em janeiro de 2018, nesse distrito oriental do país onde várias crianças já haviam desaparecido sem que as autoridades locais tomassem qualquer providência.

O suspeito da morte de Zainab é um pedófilo acusado de cometer crimes em série. Três anos antes, na mesma região, uma vasta rede de pedófilos já tinha sido exposta, com centenas de crianças vítimas de abusos sexuais.

Com a nova lei, a polícia poderá iniciar uma investigação duas horas após qualquer denúncia de desaparecimento de uma criança, que deverá ser feita pelos pais.

Alertas públicos também deverão ser emitidos sobre o sumiço de menores, além da criação de uma linha direta de telefone para auxiliar o trabalho dos investigadores.