Ouvintes recebem orientação sobre auxílio doença, aposentadoria e pagamento de benefícios do INSS

 Ouvintes recebem orientação sobre auxílio doença, aposentadoria e pagamento de benefícios do INSS
Digiqole ad

O Jornal Alerta Especial ‘Caminhos da Aposentadoria’, edição deste sábado, abriu espaços para responder aos ouvintes que ao longo desta semana enviaram dúvidas com pedidos de orientação sobre os benefícios pagos pelo INSS. As mensagens são encaminhadas pelo whatsapp 085.9.9273.4353 e tem respostas, pelo rádio e pela internet, durante uma hora de conversa entre o advogado Paulo Bacelar e o jornalista Luzenor de Oliveira.

Uma das preocupações dos ouvintes é sobre a manutenção do vínculo dos segurados com o INSS que os permitem receber, em casos de acidentes ou doença, auxílios. O vínculo é importante para o tempo de contribuição para quem sonha com a aposentadoria. Uma das dúvidas é da Francisca, do Município de Russas, que tem 52 anos, teve a carteira assinada por três meses e quer saber se, aos 55 anos, poderá pedir a aposentadoria rural.

O professor Paulo Bacelar responde à pergunta da ouvinte, Lane, de Fortaleza, que relata a situação de uma amiga que recebe duas pensões e, no futuro, pretende se aposentar. Bacelar explica que, nesse caso, é, sim, possível, a aposentadoria.

O ouvinte Antonio Rodrigo, de Trairi, pergunta quanto tempo o INSS leva para responder ao pedido de aposentadoria após o segurado completar os 65 anos de idade. O Evandro, em Fortaleza, está aposentado, mas quer saber por quais razões a empresa onde ele trabalhava não deu baixa na carteira.

O ouvinte Eliomar, que mora na cidade de Missão Velha, mandou uma dúvida, com resposta direta: ‘’Meu cunhado recebe pensão por morte. Se ele casar no civil, perde essa pensão?’’ O professor Paulo Bacelar dá uma boa resposta para o cunhado do Eliomar e para homens e mulheres que perdem o cônjuge, ficam com a pensão por morte e, na tentativa de reconstruir a vida após o óbito do companheiro ou da companheira, querem entrar em um novo relacionamento.

Fonte ceará agora