Cearenses têm se casado menos e se divorciado mais cedo, aponta IBGE.

 Cearenses têm se casado menos e se divorciado mais cedo, aponta IBGE.
Digiqole ad

Novos dados da Pesquisa de Registros Civis divulgados nesta quarta-feira (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram em que os cearenses estão casando menos e que os casamentos têm durado menos tempo.

Em 2022, o Ceará registrou 34.535 casamentos civis, o que representa um aumento de 2,8% em relação ao número de casamentos de 2021.

Entre pessoas do mesmo sexo, o número de casamentos civis aumentou 17,2% entre 2021 e 2022: de 372 casamentos para 436. A maior parte desses casamentos, cerca de 66%, foram entre mulheres.

Apesar do aumento no número de casamentos em 2021 e em 2022 – o que o IBGE atribui à flexibilização das medidas para contenção da pandemia de Covid-19 -, o número de casamento não superou a média pré-pandemia.

Entre 2015 e 2019, o Ceará tinha uma média de 41 mil casamentos anuais, mas o número ficou em 34 mil em 2022. Portanto, na série histórica, mesmo com a alta de 2021 e 2022, o estado tem apresentado uma queda no número de casamentos.

No Ceará, o índice é de 4,9 casamentos para cada 1.000 habitantes de 16 anos ou mais (idade legal para casar), o que é abaixo da média nacional, de 6 casamentos a cada 1.000 habitantes.

Os municípios cearenses que apresentaram a maior taxa de casamentos foram:

  1. Granjeiro (17,52%)
  2. Ipaumirim (12,89%)
  3. Mulungu (12,53%)

Divórcios

Já o número de divórcios tem apresentado alta no Ceará. Somente em 2022 foram mais de 11 mil divórcios junto ao Poder Judiciário, um aumento de 11,6% em comparação com 2021.

Além disso, ocorreram mais de 2 mil divórcios “extrajudiciais”, aqueles feitos direto no cartório, sem intervenção judicial.

Os municípios cearenses que apresentaram a maior taxa de divórcio foram:

  1. Aratuba (1,59%)
  2. Pacujá (1,2%)
  3. Ererê (1,16%)

Casamentos duram menos

A pesquisa do IBGE também apontou que, em média, os casamentos têm durado menos e os divórcios têm ocorrido mais cedo no Ceará.

Em 2010, o tempo médio entre a data do casamento e o divórcio era cerca de 17 anos. Em 2022, houve uma diminuição no tempo de duração do casamento para 14,6 anos.

Outros destaques da pesquisa do instituto são que:

  • O Ceará apresentou queda no número de nascidos vivos em 2022.
  • Os últimos anos da série histórica apontam que há um número maior de nascimentos no primeiro semestre do ano.
  • Em 2022, os óbitos caíram em comparação com 2021, mas as mortes de crianças e adolescentes até 14 anos aumentaram.

G1 Ceará