Carlomano rompe com sobrinho prefeito: “Quiseram fazer comigo o que Erika fez com tio Paulo.

 Carlomano rompe com sobrinho prefeito: “Quiseram fazer comigo o que Erika fez com tio Paulo.
Digiqole ad

Denunciado pelo Ministério Público do Ceará (MPCE) por superfaturamento na compra de livros da rede público de ensino, o ex-prefeito de Pacatuba Carlomano Marques (MDB) se comparou ao tio Paulo, idoso que foi levado morto ao banco por uma sobrinha, ao anunciar rompimento com atual gestão.

Em publicação nesta terça-feira, 23, o ex-gestor informou “que não existe nenhum laço político-partidário” entre ele e o atual prefeito Rafael Marques (PSB), que inclusive é sobrinho do emedebista. “Estamos livres para lançar ou apoiar outra candidatura”, garantiu Carlomano.

E seguiu: “Pela lealdade que tenho ao povo, em especial ao pacatubano, informo que esta decisão foi tomada porque quiseram fazer comigo o que a Erika fez com o tio Paulo”.

Ele é presidente do MDB Pacatuba e avisou que se reunirá nesta terça-feira com o deputado estadual Danniel Oliveira, juntamente com o dirigente estadual da sigla, Eunício Oliveira, para definir o rumo do partido na cidade.

Em outra publicação, o ex-prefeito se dirigiu ao ex-deputado Leonardo Araújo, classificando-o como “aquele que mente e rouba”, e ao prefeito. “Quem tiver perna que corra!”, finalizou.

Segundo Carlomano, nas próximas semanas, ele pretende “esmiuçar o rombo no PacatubaPrev, inclusive seus autores intelectuais e materiais”.

Afastado da prefeitura de Pacatuba, Carlomano renunciou ao cargo em fevereiro passado. Na época, ele explicou que a decisão era tomada para garantir o seu “direito de ir e vir”, podendo voltar a circular pela cidade como “cidadão comum”. Passou o cargo então ao vice-prefeito, o sobrinho Rafael.

Em abril do ano passado, Carlomano e oito secretários municipais foram presos acusados de irregularidade em contratação de empresas. Na época, a Justiça afastou os gestores das funções por 180 dias e determinou o encerramento imediato dos contratos da Prefeitura com empresas e pessoas físicas investigadas. Com problemas de saúde, Carlomano foi hospitalizado.

Diante do afastamento, o vice-prefeito, o sobrinho Rafael Marques, assumiu i9nterinamente o cargo de prefeito de Pacatuba.

Em novembro de 2023, Carlomano, o sobrinho e mais nove pessoas foram alvos de operação do Ministério Público do Ceará (MPCE). A ação girava em torno de crime contra a administração pública, falsidade ideológica e associação criminosa.

Encerrado o período da prisão temporária, o MPCE solicitou a prorrogação do afastamento de Carlomano por mais 180. Na ocasião da renúncia ao cargo de prefeito, o ex-gestor lamentou a situação.

“Infelizmente a Justiça, de uma maneira ao meu ver insensata, resolveu me afastar. Afastar Carlomano Marques da cadeira de prefeito de Pacatuba, me arrancar da cadeira de prefeito que o povo me colocou (…) Você não queira saber a minha dor, o meu sofrimento, as minhas angústias”, disse em vídeo. Ao renunciar, transferiu o mandato em definitivo ao sobrinho vice, atual prefeito.

Com informações de O Povo