PF deflagra nova fase de operação contra fraudes no Ministério do Trabalho; ministro é afastado
Quarta, 21 de novembro de 201821/11/2018
Ensolarado
-1º
10º
10º
Ashburn - VA
dólar R$ 3,79
euro R$ 4,31
Mega Byte
BRASIL
PF deflagra nova fase de operação contra fraudes no Ministério do Trabalho; ministro é afastado
Fraudes no Ministério do Trabalho
Santa Quitéria Notícias Santa Quitéria - CE
Postada em 05/07/2018 ás 09h36
PF deflagra nova fase de operação contra fraudes no Ministério do Trabalho; ministro é afastado

© Foto: José Cruz/ABr O ministro do Trabalho, Helton Yomura, foi afastado do cargo por decisão do Supremo.

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira nova fase de uma operação que investiga suposta organização criminosa que atua na concessão irregular de registros sindicais junto ao Ministério do Trabalho, com três mandados de prisão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e a suspensão do exercício do cargo por autoridades, informou a PF.


De acordo com a TV Globo, o ministro do Trabalho, Helton Yomura, foi afastado do cargo por decisão do Supremo.


"A pedido da Polícia Federal e da Procuradoria-Geral da República, serão impostas aos investigados medidas cautelares consistentes em proibição de frequentar o Ministério do Trabalho e de manter contato com os demais investigados ou servidores da pasta, bem como a suspensão do exercício do cargo", disse a PF em nota sobre a terceira fase da chamada operação Registro Espúrio.


Os alvos da ação não tiveram os nomes divulgados de imediato pela PF.


Segundo a PF, as investigações e o material coletado nas primeiras fases da operação indicaram a participação de novos envolvidos no esquema, e apontam que importantes cargos da estrutura do Ministério do Trabalho foram preenchidos com pessoas comprometidas com os interesses do grupo criminoso.


A operação Registro Espúrio foi lançada inicialmente no final de maio, quando a PF fez buscas em gabinetes da Câmara dos Deputados e nas sedes dos partidos PTB e Solidariedade, além de centrais sindicais.

FONTE: Reuters
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
220