Bolsonaro quer aprovar parte da reforma da Previdência no governo Temer
domingo, 18 de novembro de 201818/11/2018
Parcialmente nublado
Ashburn - VA
dólar R$ 3,74
euro R$ 4,27
Mega Byte
POLÍTICA
Bolsonaro quer aprovar parte da reforma da Previdência no governo Temer
,
Santa Quitéria Notícias Santa Quitéria - CE
Postada em 30/10/2018 ás 09h23
Bolsonaro quer aprovar parte da reforma da Previdência no governo Temer

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse hoje pela primeira vez que pode apoiar a aprovação da reforma da Previdência ainda no atual governo. O presidente Michel Temerafirmou ontem que é possível finalizar a reforma enviada ao Congresso ainda neste ano se Bolsonaro quiser.


“Na semana que vem, estaremos em Brasil para um encontro com Temer. Se der para aprovar alguma coisa da reforma da Previdência, o todo ou parte, evitaria um problema para o futuro governo”, disse Bolsonaro em entrevista para a Rede Record.


Segundo ele, o novo governo vai atuar junto ao Congresso para evitar a votação de pautas-bombas. “Pois temos um déficit monstruoso e ele não pode aumentar.” 


Temer afirmou que pode deixar a ‘estrada estará inteiramente asfaltada para o próximo governo”, referindo-se à reforma da Previdência. A proposta parece contar com o apoio de Paulo Guedes, futuro ministro da Fazenda. Em encontro com investidores, Guedes disse a que Bolsonaro poderia ajudar Temer a aprovar a reforma.


 

Hoje, Bolsonaro afirmou que não dá para revogar o limite do teto de gastos. “Não adianta revogar o teto, não tem como investir mais.”


Ele acenou para o empresariado e prometeu  medidas para destravar a economia. “É preciso destravar a economia, desburocratizar, regulamentar para que os investidores, empresários e comerciantes tenham meios de empregar sem tanta burocracia. Somente dessa forma dá para movimentar a economia.”


Mercosul


Bolsonaro ironizou a forma como Paulo Guedes respondeu a uma pergunta de uma jornalista argentina sobre o Mercosul: “ele se soltou”. Guedes chamou de ‘malfeita’ a pergunta sobre a possibilidade de rompimento com o Mercosul. “Mercosul não é prioridade. É isso que você queria ouvir?”, perguntou Guedes para a repórter do jornal argentino Clarín.


O presidente eleito endossou a visão do futuro ministro da Fazenda peso do Mercosul nas relações comerciais com o Brasil. “Acho que o Mercosul é supervalorizado, no meu ponto de vista. Ninguém quer implodir [o bloco], mas dar a devida estatura que ele tem.”

FONTE:
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô: